Aumentou em 2019 o número de funcionários que pedem demissão de livre e espontânea vontade. É o chamado turnover voluntário, que é maior entre empregados com posições intermediárias. De acordo com a Pesquisa de Remuneração Total, realizada anualmente pela Mercer, o percentual de demissão voluntária saiu de 5% em 2018 para 9% em 2019 entre pessoal de nível operacional.

Esse avanço ocorre somente nessas carreiras? Não. De acordo com a pesquisa, o percentual de demissão voluntária subiu de 2% em 2018 para 4% em 2019 entre funcionários de níveis mais altos. Entre aqueles que ocupam cargos gerenciais, essa participação subiu de 3% para 7%.

O que isso mostra? Como a pesquisa mostra que esse movimento veio acompanhado de aumento de contratações, tudo indica que a saída voluntária do emprego está atrelada ao leve aquecimento do mercado de trabalho.

Os números indicam esse movimento de contratações? Sim. De acordo com a pesquisa, houve um aumento de contratações em todos os níveis em 2019. Das novas contratações, 12% foram de cargos operacionais, 19% em nível intermediário e 22% de postos de liderança.

“É bastante animador enxergar esse incremento, que pode representar novas posições geradas ou aquecimento do índice de reposição de profissionais demitidos”, afirma o líder de produtos de carreira da Mercer Brasil, Rafael Ricarte.

Os salários são melhores? Pior que não. De acordo com a pesquisa, só os funcionários com cargos de liderança entram ganhando mais. “Os demais novos profissionais entram com uma remuneração, em média, 20% menor na base, e 14% menor no nível tático, claramente demonstrando como é diferente a influência do índice de 12% de desemprego no país”, afirma Ricarte.

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.