Com uma rotina cada vez mais abarrotada de coisas para fazer, muitos brasileiros estão adotando o horário de almoço como o preferido para a prática de atividades físicas. Levantamento da Gympass, empresa que fornece plano de assinatura de academias, mostrou que 7% dos usuários optam por malhar entre 12h e 14h.

Essa mudança não tem a ver apenas com novos hábitos esportivos. Os jovens que começam a chegar ao mercado de trabalho preferem se envolver profissionalmente com empresas com maior flexibilidade de horário e que se importam com a vida do funcionário para além das paredes do escritório. Do outro lado, as companhias estão pensando em formas de manter esse novo perfil de colaborador envolvido com os propósitos e metas da companhia. Como fazer isso? Atendendo parte das necessidades desse público.

Aliás, nós já falamos por aqui sobre esse tipo de benefício. Em entrevista ao 6 Minutos, Mariana Dias, diretora de produtos e consultoria da Mercer Marsh Benefícios, disse que esses eles geram um diferencial em relação à remuneração para as empresas. Trocando em miúdos, eles podem valer mais que o salário e por isso são uma forma de atrair e reter talentos dentro das corporações.

É nesse contexto que entra a atividade no horário de almoço: se antes o colaborador não conseguia praticar exercícios porque tinha cursos, gastava muito tempo no transporte até o trabalho ou até mesmo tinha que levar os filhos à escola, agora ele pode aproveitar aquela horinha de almoço para fazer alguma atividade.

E isso é uma tendência por aqui? Sim. De acordo com Priscila Siqueira, vice-presidente de desenvolvimento de negócios no Brasil da Gympass, esse número pode crescer ainda mais nos próximos anos. “As empresas querem oferecer qualidade de vida para ganhar mais produtividade. Por isso, incentivam os funcionários a praticar alguma atividade no horário do almoço. Temos depoimentos de pessoas que fazem exercícios nesse horário e a opinião é quase unânime: o colaborador volta renovado para o restante da tarde”, diz.

De acordo com ela, os benefícios vão ainda além do condicionamento físico. “Nos estudos de burnout, já sabemos que ter uma pausa no trabalho mantém a concentração das pessoas e pode ajudar na saúde mental. Se você tem a possibilidade de praticar exercícios, melhor ainda”. O Ministério da Saúde diz que uma das formas de prevenir o burnout é praticar exercícios físicos regularmente.

Mas essa tendência é só aqui no Brasil? Não. O Gympass, que tem em sua base 53 mil academias cadastradas em 13 países, compilou alguns dados para o 6 Minutos. No Reino Unido, por exemplo, 12% dos usuários malham no horário do almoço. “Países mais desenvolvidos têm tendência de praticar mais atividade física. Aqui no Brasil, atualmente, só 5% da população faz alguma modalidade”, diz Priscila. É por isso que, por aqui, ainda temos muito espaço para crescer nesse aspecto.

E que tipo de atividade esse pessoal faz? Para malhar nesse período, é preciso elaborar a logística: tem que dar tempo de treinar, tomar um banho rápido e almoçar. De acordo com os dados da Gympass, muitas pessoas que fazem academia nesse horário preferem os treinos mais curtos, como os de condicionamento físico ou pilates. O spinning, por exemplo, dura em média 45 minutos.

Confira as atividades preferidas de quem treina no horário de almoço por país:

 BrasilReino UnidoEstados Unidos
1MusculaçãoCardioMusculação
2CardioMusculaçãoCardio
3CondicionamentoPilatesYoga
4PilatesMeditaçãoCondicionamento

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.