Um dos dilemas de quem procura o primeiro emprego é a elaboração do currículo. O envio desse documento é exigido até mesmo para quem procura uma vaga de estágio ou trainee. A tarefa, que parece simples para quem já está no mercado, se torna difícil para quem não tem nada para colocar no campo experiência.

O 6 Minutos conversou com Yolanda Brandão, gerente de treinamentos do Nube (empresa especializada na inserção de jovens no mercado de trabalho), e traz dicas para você montar um currículo mesmo sem ter experiência.

Por onde começar? Antes de começar a escrever o currículo, a gerente de treinamentos afirma que é necessário refletir sobre a (futura) carreira profissional. Faça uma análise de onde quer chegar: qual o seu projeto de vida? Pense nas habilidades que já desenvolveu e no que ainda precisa aperfeiçoar mirando o objetivo que deseja alcançar. Isso também ajuda na hora da entrevista.

Mas como lidar com a falta de experiência? A dica de ouro para quem está iniciando a carreira profissional é destacar experiências acadêmicas, estágios de férias, intercâmbio, trabalhos voluntários e outros projetos e cursos nos quais se envolveu.

O que devo colocar no currículo? O documento precisa ser conciso e ir direto ao ponto. É necessário que o recrutador entenda de cara qual é o objetivo do candidato. A melhor forma de organizar o currículo e deixá-lo visualmente atrativo é organizá-lo em alguns blocos:

  • Dados pessoais: nome completo, e-mail, telefones, data de nascimento e endereço. Não se esqueça de manter sempre os contatos atualizados.
  • Objetivo profissional: seja o mais específico possível, nada de colocar “à disposição da empresa” ou algo genérico. Se você deseja concorrer à vaga de estágio para a área contábil, por exemplo, escreva “estagiário de contabilidade” no objetivo.
  • Qualificações: essa é a oportunidade para você descrever as suas habilidades comportamentais e técnicas que impactam no trabalho (por exemplo: trabalho em equipe, negociação com clientes, proatividade, liderança, boa comunicação). Fique atento à vaga para a qual está se candidatando e destaque as suas características que darão match com o perfil profissional buscado pela empresa.
  • Formação Acadêmica: coloque o curso superior ou técnico que está fazendo ou concluiu. Não se esqueça de adicionar o nome da instituição de ensino e período de formatura.
  • Experiências profissionais: se houver experiências anteriores, mesmo que sejam trabalhos informais ou estágios sem relação direta com a sua área de estudo, coloque uma breve descrição das atividades que executou e por quanto tempo. Caso não haja nada a adicionar, pule o campo.
  • Atividades complementares: ressalte aqui trabalhos que você desenvolveu na faculdade (intercâmbio, monitoria, comissão de formatura, participação na atlética e centro acadêmico) e outros projetos extraescolares, como trabalhos voluntários.
  • Cursos: liste os cursos livres, presenciais ou online que já realizou. Se a lista for longa, selecione os mais importantes e aqueles que têm relação com a vaga desejada.
  • Idiomas: caso domine algum idioma, adicione a língua e o seu nível de conversação, compreensão e escrita.

E o que mais preciso saber? Primeiramente, não coloque muita informação para fazer volume no papel: uma página é o suficiente. Se o cadastro para a vaga for feito em uma base de dados, como é o caso do Nube, tenha muita atenção e preencha todos os campos com as informações atualizadas, principalmente os contatos.

De acordo com Yolanda Brandão, é muito comum que o estudante não responda e-mails, não atenda o telefone ou até mesmo que o número não exista. Fique atento ao seu celular e à caixa de e-mail e retorne rapidamente, isso pode fazer a diferença para conseguir a vaga desejada.

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.