Ser dono do próprio negócio é o sonho de muita gente e também uma alternativa ao desemprego. Empreender, porém, envolve riscos, mas investir em uma franquia é uma maneira de reduzi-los.

“A essência do sistema de franquias é replicar modelos de negócio de sucesso”, explica Claudia Bittencourt, diretora do Grupo Bittencourt, consultoria especializada em franquias.

Numa franquia, os riscos são menores porque o negócio já foi testado por um período e validado com as adaptações necessárias. Ainda assim, não há garantia de sucesso. Por isso, é importante escolher bem antes de investir seu capital, diz Luis Stockler, da consultoria baStockler.

“É um momento propício para investir, com o mercado começando a aquecer. Vale a pena se informar sobre as marcas, investigar com calma, conversar com franqueados e escolher um ramo com o qual tenha afinidade, pois será necessária muita dedicação”, indica o consultor.

Há oportunidades em setores como o de serviços, que são profissionalizados com o padrão de trabalho das franquias, e em áreas que são mal atendidas pelo governo, como saúde e educação, segundo André Friedheim, presidente da ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Veja 6 tendências em franquias apontadas pelos especialistas:

Serviços

Limpeza residencial e comercial, lavanderia, manutenção de imóveis e veículos, home care (cuidados de saúde em casa) – há muitas opções no ramo. Segundo Friedheim, o Brasil passa por uma fase de profissionalização dos serviços, que veio com o modelo de franquias. “A franquia formaliza pequenos negócios, dá escala e impõe padrões e processos”, diz.

Ele exemplifica: “Antigamente, você ia ao mecânico e era um ambiente sujo, não havia confiança. Hoje, a oficina é limpa, o profissional está de avental, registra no computador o trabalho que foi feito, dá nota fiscal, há mais confiança. Há vários exemplos, como lavanderias que buscam e entregam, engraxates em shopping e aeroportos.”

Algumas marcas: 5àSec (lavanderia), Maria Brasileira (limpeza e serviços domésticos), Acquazero (limpeza automotiva), Bono Pneus (serviços automotivos).

Fachada da 5àSec

Saúde

 Segundo Friedheim, há muitas oportunidades em setores que são mal atendidos pelo governo, como saúde e educação. Na área médica, destaque para as clínicas populares, que se multiplicaram nos últimos anos, e para os cuidados com idosos, uma vez que a população brasileira está vivendo mais.

Segundo o IBGE, o percentual de pessoas com mais de 65 anos passará dos atuais 9,2% para 25,5% até 2060.

Algumas marcas: Medic Mais (clínica médica), Home Angels (cuidadores), Terça da Serra (residencial para idosos), OrthoDontic (clínica odontológica).

Fachada de MedicMais
Crédito: Dvulgação

Educação

 As franquias de cursos de idiomas estão entre as mais antigas do Brasil, mas o segmento continua em alta e se renovando, com novas escolas de programação, robótica e desenvolvimento de games.

As escolas de idioma continuam sendo uma boa opção, considerando que apenas 5% da população brasileira sabe se comunicar em inglês, segundo levantamento do British Council.

Além disso, em épocas de desemprego em alta, tende a crescer a procura por capacitação para o mercado de trabalho, segundo o consultor Luis Stockler. “Cursos técnicos são uma alternativa à universidade e também formam bons profissionais”, diz.

Algumas marcas: Instituto Embelleze (cursos de beleza), Happy Code (programação e robótica para crianças e adolescentes), Fisk (idiomas), Kumon (reforço escolar).

Fachada do Kumon

Alimentação: delivery e comida saudável

Alimentação é um ramo sempre em alta, afinal, é uma necessidade básica das pessoas. Mas os hábitos de consumo mudam, e a tendência agora é o delivery, de acordo com Friedheim.  “Aplicativos tipo iFood têm um papel grande nisso, pois são um canal de distribuição e fazem a propaganda”, afirma.

A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) estima que o delivery movimente cerca de R$ 1 bilhão por mês. E as franquias podem ter vantagens em relação a um restaurante independente. “As franquias têm lojas em muitos pontos, o que reduz o custo do frete e barateia a entrega para o consumidor”, aponta o presidente da ABF.

Também está crescendo o número de lojas de produtos naturais e de restaurantes com pratos para pessoas com algum tipo de intolerância alimentar. Segundo Stockler, negócios que já nascem estruturados com isso em vista têm vantagem diante de outros que se adaptam para atender a demanda. “Para oferecer alimentos sem glúten, por exemplo, é necessário uma área separada para evitar a contaminação cruzada”, cita.

Algumas marcas: China in Box (comida chinesa delivery), Brasileirinho Delivery (comida brasileira delivery), Mundo Verde (loja de produtos naturais), Terra Madre (loja de produtos orgânicos e saudáveis).

Fachada de uma loja Terra Madre

Modelos de negócio diferentes

 “As franquias estão cada vez mais inovando em seus formatos”, afirma a consultora Claudia Bittencourt. Isso inclui marcas tradicionais que desenvolvem modelos menores para entrar em novos mercados, como cidades pequenas; parcerias com outras marcas para atrair mais público e diminuir custos; lojas com totens conectados à internet para que o cliente compre online e receba em casa, reduzindo o estoque no local, e também dando a possibilidade de comprar na loja virtual e retirar na loja física, entre outros.

Algumas marcas: Authentic Feet, Artwalk e Magicfeet (que integraram os canais de venda online e offline e permitem comprar online e retirar na loja e vice-versa),  Nutty Bavarian (que vende outras marcas no seu ponto de venda).

Authentic Feet

Empresas com propósito

 Os millennials (pessoas nascidas entre a década de 80 e 90) e a geração Z (nascidos nos anos 90 até 2010) têm hábitos de consumo específicos que merecem atenção, de acordo com Claudia. Uma das características é o consumo mais consciente e a valorização de empresas que possuem um propósito.

“Esses consumidores se importam com o impacto que a empresa causa na sociedade, como ela se relaciona com a comunidade, com os funcionários, com os fornecedores. O objetivo não pode ser só ganhar dinheiro, tem que ter uma causa maior, ajudar um grupo”, destaca.

Algumas marcas: Reserva (que faz parte do movimento Capitalismo Consciente), Chilli Beans (o dono Caíto Maia é referência em empreendedorismo e ídolo de muitos jovens, que até tatuam a pimenta símbolo da marca), Natura (que usa matéria-prima natural e desenvolve comunidades na Amazônia).

Loja da Reserva (Divulgação)

 

 

 

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.