O 6 Minutos acompanha, em tempo real, as principais notícias sobre a pandemia de coronavírus neta sexta-feira (3).

DÓLAR SOBE MAIS DE 1% E REGISTRA EM NOVA COTAÇÃO RECORDE: R$ 5,32; IBOVESPA SEGUE EXTERIOR E TOMBA QUASE 4% NO FECHAMENTO (17h18)
Em dia dominado pelo mau humor dos mercados internacionais com o número de desempregados nos EUA, o conhecido movimento de aversão ao risco aumentou a procura pelo dólar, o que fez a moeda subir 1,18% nesta sexta-feira e fechar em nova cotação nominal recorde: R$ 5,32. Na Bolsa, o Ibovespa acompanhou a onda negativa que atingiu da Ásia à Europa e terminou o último dia útil da semana recuando 3,76%, aos 69.537 pontos.

CADASTRO DE INFORMAIS PARA RECEBER AUXÍLIO EMERGENCIAL SERÁ FEITO COM APP DO GOVERNO; BENEFÍCIO DEVE SER PAGO “ANTES DA PÁSCOA” (17h09)
O ministro da Economia Paulo Guedes deu mais detalhes sobre como o pagamento do auxílio de R$ 600 aos trabalhadores informais será feito. Estavam presentes também o ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

O ministro Lorenzoni disse que o governo mapeou cerca de 50 milhões de famílias no Cadastro Único, e que haverá um cruzamento de dados para identificar quem é elegível ao benefício. No total, entre 65 milhões e 70 milhões de brasileiros podem ser beneficiados. O problema, disse o ministro, é que há até 20 milhões de trabalhadores informais que não estão inscritos no Cadastro Único. Para essas pessoas, a Caixa disponibilizará um aplicativo na próxima terça-feira (7) para que o cadastro para pleitear o benefício seja feito.

O governo diz que há 12 milhões de famílias no Bolsa Família que estão aptas a receber o auxílio emergencial. Para esse público, o pagamento começará a ser feito no dia 16 de abril. Como o governo possui todos os dados dessas famílias, e já há uma conta aberta para pagamento do benefício, o processo será mais simples.

Quanto às 25 milhões de famílias do Cadastro Único, há um esforço para fazer um cruzamento de dados e para completar o cadastro dessas pessoas — parte desse público não tem, por exemplo, o CPF registrado na plataforma. Assim que isso for feito, o governo liberará um calendário de pagamentos. “A gente espera que esse pagamento comece a acontecer antes da Páscoa”, afirmou o ministro da Casa Civil, sem dar uma data exata.

SEM TURISTAS, HOTÉIS DO RIO FECHAM AS PORTAS POR PANDEMIA E MILHARES PODEM PERDER EMPREGO (16h45)
Cerca de 60 hotéis do Rio de Janeiro fecharam as portas temporariamente desde o início da pandemia do coronavírus, e há risco de demissão de até 5 mil funcionários, segundo a associação de hotéis da cidade, que comparou a gravidade da situação com estragos provocados por uma guerra.

Segundo José Caamaño, vice-presidente da Associação de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), o setor se preparava para viver o melhor março dos últimos tempos, com previsão de taxa de ocupação de 75%, depois de alguns anos difíceis, com crescimento do produto interno bruto na faixa de 1% entre 2017 e 2019.

No entanto, com o avanço da pandemia e a adoção de medidas de restrição de movimentação e isolamento social para conter a disseminação do vírus, a taxa de ocupação foi declinando a ponto de obrigar os hotéis a fecharem as portas temporariamente. “Tem hotel hoje na cidade que está sem um hóspede“, disse Caamaño.

PAULO GUEDES E EQUIPE ECONÔMICA FALAM SOBRE MEDIDAS DO GOVERNO PARA ENFRENTAR PANDEMIA DE CORONAVÍRUS (16h12)

DATAFOLHA: ATUAÇÃO DE MANDETTA NA CRISE É APROVADA POR 76%; 39% REPROVAM AÇÕES DE BOLSONARO (15h28)
Nova pesquisa do Datafolha divulgada hoje mostra que a aprovação dos brasileiros ao Ministério da Saúde, liderado por Luiz Henrique Mandetta, subiu 21 pontos percentuais (p.p), de 55% na pesquisa anterior, feita entre 18 e 20 março, para 76% na divulgada hoje. O levantamento ouviu 1.511 pessoas por telefone entre 1º e 3 de abril, e tem margem de erro de três pontos porcentuais.

Também cresceu a reprovação à maneira como o presidente Jair Bolsonaro tem agido na crise causada pelo coronavírus. Na pesquisa anterior, 33% reprovavam o trabalho do presidente na crise, parcela que agora é de 39% dos entrevistados, variação no limite da margem de erro.

A aprovação de Bolsonaro variou de 35% para 33%, e a avaliação de que o presidente é “regular” foi de 26% para 25%, ambas dentro da margem de erro, indicando estabilidade.

DÓLAR TEM ALTA EXPRESSIVA E É VENDIDO A R$ 5,31; IBOVESPA CAI MAIS DE 4%, AOS 69 MIL PONTOS (15h10)

ECONOMIA DOS EUA PODE TER O PIOR TRIMESTRE DA HISTÓRIA (14h31)

Economistas dos EUA revisaram suas previsões para o desempenho do país no próximo trimestre. Para muitos, o país pode ter o pior PIB trimestral desde 1947, quando teve início a série histórica. Abaixo, a previsão de algumas das maiores instituições financeiras do mundo para a economia americana.

Morgan Stanley (previsão feita em 3/4)
PIB: -3,4% (1º tri), -38% (2º tri)
Desemprego: 15,7%

Bank of America (previsão feita em 2/4)
PIB: -7% (1º tri), -30% (2º tri), -1% (3º tri)
Desemprego: 15,6%

Goldman Sachs (previsão feita em 31/3)
PIB: -9% (1º tri), -34% (2º tri)
Desemprego: 13.2%, podendo chegar a 15%

GOOGLE REVELA QUEDA DRÁSTICA NA CIRCULAÇÃO DE BRASILEIROS (14h15)
O Google anunciou, nesta sexta-feira (3), que passará a disponibilizar diariamente as informações de localização dos usuários de smartphones para as autoridades sanitárias do país. A ideia é que os dados ajudem na formulação de políticas de combate ao coronavírus, além de ajudar a mensurar a efetividade de iniciativas já tomadas. Abaixo, algumas conclusões do levantamento do Google.

  • Queda de 71% nas visitas a restaurantes, shoppings, cinemas, cafés, bibliotecas e outros locais de lazer;
  • Redução de 35% nas idas às compras em supermercados, mercearias, feiras livres e farmácias;
  • Visitas a parques, praias e outros locais abertos de recreação caíram 70%;
  • Diminuição de 62% no fluxo de estações de metrô, ônibus e trem;
  • O trabalho presencial (em escritórios ou nos locais de atendimento) caiu 34%;
  • Aumento de 17% nos registros de permanência em casa.

BOLSAS EUROPEIAS TERMINAM SEMANA EM BAIXA (14h10)
Os índices europeus terminaram a semana em baixa. Os últimos dias foram de divulgação dos dados ruins sobre a atividade empresarial e industrial na zona do euro em março.  Economistas temem que o PIB do continente encolha até 43% no segundo trimestre.  Veja os principais índices:

  • Em Londres, o FTSE 100 recuou 1,18%, a 5.415 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,47%, a 95.525 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 1,57%, a 4.154 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 2,67%, a 16.384 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,11%, a 6.581 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,52%, a 3.972 pontos.

METADE DOS BRASILEIROS JÁ SOFREU IMPACTO FINANCEIRO POR CAUSA DO CORONAVÍRUS (13h20)
Metade dos brasileiros afirma já ter sofrido impacto financeiro por causa da crise do coronavírus, segundo dados de pesquisa da XP Investimentos feita entre os dias 30 de março e 1 de abril. Há apenas duas semanas, a fatia dos que se diziam afetados era de 26%.

Para 45% dos pesquisados, suas dívidas vão crescer ou crescer muito nos próximos seis meses, mesmo percentual que acredita a chance de manter o emprego no mesmo período de tempo é pequena ou muito pequena. Quando questionados sobre o tempo da quarentena, a maior fatia (28%) disse que acredita que o isolamento social durará dois meses.

IBOVESPA CAI MAIS DE 5% E DESCE A 68 MIL PONTOS, DÓLAR SOBE QUASE 1% E ULTRAPASSA BARREIRA DOS R$ 5,30 (12h58)

BOLSAS PARA BAIXO NOS PRINCIPAIS MERCADOS MUNDIAIS, E DÓLAR PARA CIMA (12h12)
O Ibovespa registrava queda de 3,8% no começo da tarde desta sexta-feira, acompanhando o sentimento negativo dos mercados externos. O S&P500, principal índice do mercado americano, marcava baixa de quase 1%, em razão dos dados de desemprego que vieram muito acima do esperado. Em março, as empresas americanas fecharam mais de 700 mil postos de trabalho – analistas esperavam um número em torno de 100 mil. O mercado europeu também está ancorado pelo dia ruim nos Estados Unidos. O FTSE, de Londres, caía 1,19% e o índice alemão DAX registrava baixa de 0,3%. O dólar continua encostando nos R$ 5,30, com valorização de 0,8%.

DESAPROVAÇÃO AO GOVERNO BOLSONARO CRESCE E CHEGA A 42%, MOSTRA PESQUISA DA XP (11h41)
A desaprovação do governo do presidente Jair Bolsonaro (ruim e péssimo) subiu de 36% para 42% nas últimas duas semanas, mostra pesquisa da XP Investimentos feita entre os dias 30 de março e 1 de abril. A aprovação (ótimo e bom) se reduziu de 30% para 28% no período. O levantamento tem abrangência nacional e foi feito pela empresa de pesquisas Ipespe através de ligações telefônicas para mil pessoas. A aprovação dos governadores, por outro lado, subiu de 26% para 44%, segundo o levantamento.

BOLSONARO INSISTE EM FIM DE ISOLAMENTO: SOCIEDADE NÃO AGUENTA FICAR PARADA (10h53)
O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar os efeitos do isolamento social para a economia. “A sociedade não aguenta ficar dois, três meses parada. Vai quebrar tudo”, disse a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada. “Você sabe o meu posicionamento. Não pode fechar dessa maneira (o comércio). E atrás disso vem desemprego em massa, vem miséria, vem fome, vem violência”, declarou.

MAIA DEFENDE MANDETTA DE ATAQUES DE BOLSONARO E DIZ QUE MINISTRO NÃO VAI ENTREGAR O BONÉ (10h49)
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a defender o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, dos ataques do presidente Jair Bolsonaro. O presidente disse ontem à noite que falta “humildade” ao ministro da Saúde. Para Bolsonaro, Mandetta deveria ouvi-lo mais sobre as decisões no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Maia disse que Mandetta é um homem de responsabilidade e não vai pedir demissão, neste momento de pandemia do coronavírus que o país atravessa.

SETOR DE SERVIÇOS TEM MAIOR QUEDA EM PELO MENOS 13 ANOS (10h37)
Com o fechamento de empresas e redução da demanda do consumidor por causa da quarentena para contenção do coronavírus, a atividade do setor de serviços do Brasil despencou em março, sofrendo o maior tombo em pelo menos 13 anos. A informação é da consultoria IHS Markit, que calcula o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), indicador de saúde econômica de um setor calculado com base em fatores como pedidos, estoque, emprego e entrega de fornecedores. Em março, o PMI de serviços do país desabou a 34,5 pontos (era de 50,4 em fevereiro, apontando a maior contração do setor desde 2007, quando o índice começou a ser calculado.

DÓLAR ATINGE INÉDITOS R$ 5,30; IBOVESPA ACOMPANHA EUROPA E CAI (10h13)
O dólar caminha para fechar a sétima semana consecutiva de valorização, reflexo das incertezas econômicas provocadas pela pandemia. A moeda norte-americana atingiu sua maior cotação nominal na manhã desta sexta-feira, cotada a R$ 5,30. Já a Bolsa abriu em queda de -0,62%, a 71.808 pontos, acompanhando os mercados da Europa e Ásia.

CORONAVÍRUS ENCERRA CICLO DE 113 MESES DE CRESCIMENTO DO EMPREGO NOS EUA (9h58)
A economia dos Estados Unidos fechou postos de trabalho em março, encerrando abruptamente um histórico de 113 meses seguidos de crescimento do emprego, à medida que ações rigorosas para controlar a pandemia de coronavírus prejudicam empresas e fábricas, praticamente confirmando uma recessão. O Departamento do Trabalho dos EUA disse que os empregadores cortaram 701 mil vagas no mês passado, depois de criarem 275 mil em dado revisado em fevereiro. A taxa de desemprego disparou de 3,5% para 4,4%.

COM INÍCIO DE CORONAVÍRUS, QUEDA NA DEMANA GLOBAL POR VOOS EM FEVEREIRO FOI DE 14% (9h46)
Em fevereiro, quando a pandemia do coronavírus ainda estava concentrada na Ásia, a queda no tráfego aéreo global foi de 14,1%, na comparação com o mesmo mês de 2019. O dado é da IATA (Associação Internacional do Transporte Aéreo) e reúne informações de passageiros, transporte de carga e oferta de voos das companhias para territórios nacionais e internacionais. Segundo a IATA, essa queda é a mais acentuada desde o 11 de setembro, em 2001. A entidade prevê queda ainda mais intensa em março, quando cresceu o número de países que instituiram restrições de circulação.

DÓLAR ABRE EM ALTA E VALE R$ 5,27 (9h16)
O dólar abriu com leve alta nesta sexta-feira, caminhando para fechar sua sétima semana consecutiva de valorização em meio a cautela generalizada após os casos de coronavírus no mundo superarem 1 milhão.

RESTAURANTES JÁ DEMITIRAM MAIS DE 600 MIL, DIZ ASSOCIAÇÃO (8h53)
A ANR (Associação Nacional de Restaurante) afirmou que as demissões no setor podem já ter atingido entre 600 mil e 800 mil trabalhadores no país, em meio à quarentenas impostas para frear a propagação do coronavírus. O número inclui trabalhadores formais e informais, e a pesquisa foi feita com mais de 9 mil pontos em todo o país. (Com Reuters)

JAPÃO DARÁ US$ 2.800 PARA CADA FAMÍLIA ATINGIDA PELO COVID-19 (8h46)
O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que um pacote de estímulo para combater a pandemia de coronavírus será lançado na próxima semana. O pacote incluirá gastos com suprimentos médicos, bem como pagamentos em dinheiro para pequenas empresas e famílias que enfrentaram quedas acentuadas de renda. Cada família atingida pela crise deve receber até US$ 2.800 em dinheiro.

O governo também pedirá às instituições financeiras privadas que se juntem a credores afiliados ao governo para oferecer empréstimos com taxa de juros zero a pequenas e médias empresas sem dinheiro, disse ele.

CUSTO DA PANDEMIA PODE CHEGAR A US$ 4,1 TRILHÕES (8h41)
O custo da pandemia de coronavírus pode chegar a US$ 4,1 trilhões, ou 5% do PIB global, segundo previsões do Banco de Desenvolvimento da Ásia divulgadas hoje. No melhor cenário, as perdas chegariam a US$ 2 trilhões, ou 2,3% do PIB mundial. “Ninguém pode dizer até quando a pandemia vai durar, e as medidas de confinamento podem levar mais tempo do que o projetado”, disse Yasuyuki Sawada, economista-chefe do banco. “A possibilidade de uma crise financeira severa não pode ser descartada”.

BOLSAS DA EUROPA OPERAM EM BAIXA (8h30)
Os principais índices europeus estão se desvalorizando no início do pregão desta sexta-feira (3). Além da marca de 1 milhão de coronavírus em todo o mundo, há a decisão da Itália de prorrogar o “lockdown” até 2 de maio – antes, seu término estava previsto para 13 de abril. Veja os índices:

  • FTSE 100 (Londres): – 1,37%
  • DAX (Frankfurt): -0,42%
  • CAC 40 (Paris): -1,01%
  • IBEX 35 (Madri) : -0,05%
  • IT 40 (Milão): -1,33%
  • PSI 20 (Lisboa): -0,21%

FABRICANTE DA CERVEJA CORONA VAI SUSPENDER PRODUÇÃO (8h27)
O Grupo Modelo, responsável pela fabricação da cerveja Corona, anunciou que vai suspender a produção e venda da marca no domingo, após o México declarar emergência sanitária e determinar a interrupção de todos os serviços não-essenciais.

ÍNDICES ASIÁTICOS ENCERRAM SEMANA EM QUEDA (8h15)
Influenciados pelo número de 1 milhão de infectados por coronavírus em todo o mundo, os índices asiáticos encerraram o pregão desta sexta-feira (3) em baixa. O CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, na China, recuou 0,57%.

Veja os principais mercados:

  • Em Tóquio, o índice Nikkei avançou 0,01%.
  • Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,19%.
  • Em Seul, o índice Kospi teve valorização de 0,03%.
  • Em Taiwan, o índice Taiex caiu 0,46%.
  • Em Cingapura, o Straits Times perdeu 2,60%.

CAI NÚMERO DE MORTOS E DE NOVOS CASOS NA ESPANHA (07h59)
Espanha tem primeira queda no número de mortos por coronavírus em quatro dias. O número total de vítimas foi de 932 nas últimas 24h, contra 950 de ontem. O número de novos casos também cresceu menos: foram 7.472. Ao todo, mais de 117 mil pessoas já foram diagnosticadas com o covid-19 no país.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.