A determinação da quarentena mudou a forma com que encaramos as saídas de casa. Atire a primeira pedra quem nunca pensou: afinal, esse compromisso é tão urgente a ponto de eu não poder adiá-lo para quando as coisas se normalizarem?

As revisões programadas dos carros (que acontecem a cada 10 mil quilômetros ou a cada ano, em geral) ficaram em um limbo durante a pandemia, já que muita gente está evitando sair de casa e até mesmo as concessionárias passaram um bom tempo fechadas. A pergunta é: quem não levou o veículo para fazer a revisão vai perder a garantia?

Antes, pode me dar um pouco mais de contexto? As montadoras costumam dar um prazo de garantia contra defeitos de série. O prazo desse “seguro” varia de acordo com a marca, mas é em geral de 2 a 6 anos. A garantia é importante porque ela pode salvar o consumidor de prejuízos bem salgados. Qualquer defeito de fábrica no câmbio ou no motor do carro, por exemplo, costuma exigir um conserto caro.

A contrapartida para essa garantia é o cumprimento das revisões obrigatórias. Além de ser uma forma de assegurar que os veículos passem pela manutenção periódica, o que reduz o número de defeitos possíveis, as montadoras garantem uma renda extra com a prestação do serviço. Se o cliente deixa de fazer uma dessas checagens, mesmo que tenha feito todas as outras, o carro deixa de ser coberto pela garantia.

As marcas costumam dar uma colher de chá de 1 mil quilômetros ou de 1 mês além do período inicialmente estipulado para a revisão.

Preciso, então, fazer a revisão mesmo durante a quarentena? O 6 Minutos procurou as principais montadoras brasileiras para saber como elas estão orientando os consumidores que tinham revisões programadas desde março, quando a maior parte das cidades decretou as medidas de isolamento social. Veja abaixo como cada uma está se posicionando:

GM (Chevrolet)

Os veículos que estavam com a garantia válida e que deveriam fazer alguma revisão dentro do prazo de 1º de março a 30 de junho terão a extensão da garantia por três meses. Além disso, o período de tolerância para a execução das revisões foi ampliada de 1 mil quilômetros para 3 mil quilômetros. A data limite para a realização das revisões não foi estabelecida, mas a montadora diz que comunicará os consumidores assim que a situação se normalizar.

FCA (Fiat e Jeep)

A FCA disse, em nota, que 95% das oficinas das concessionárias estão funcionando. Apesar disso, os prazos para as manutenções obrigatórias estão flexibilizados para todos os clientes que cujas revisões vencerão até 31 de maio de 2020, contados a partir de 20 de março de 2020.

A montadora estabeleceu regras diferentes para a primeira revisão e para as manutenções sequentes. Quem deve fazer a primeira checagem do carro terá uma tolerância de 2 mil quilômetros e de dois meses. Já para as revisões seguintes, o prazo extra foi de 1 mês e de 1 mil quilômetros.

Ford

No site da marca há orientações genéricas para os clientes. A Ford diz que grande parte das oficinas está aberta, e que medidas extras de higienização estão sendo tomadas. Além disso, as revisões que venceram durante a pandemia, seja por período ou quilometragem, terão uma flexibilidade de agendamento até o dia 1º de junho.

Volkswagen

A marca alemã afirmou que mantém, no site, uma lista atualizada com as concessionárias que estão realizando as revisões. A Volks não estabeleceu uma tolerância para as revisões, e diz apenas que assim que for decretado o fim da quarentena os clientes devem entrar em contato com as oficinas para realizar a manutenção. Até lá, a garantia dos veículos estará garantida.

Hyundai

A montadora informou que todos os clientes que tinham revisões programadas para o período de 10 de março a 31 de maio continuarão com a garantia assegurada. A tolerância de quilometragem para a realização da manutenção passará a ser de 2 mil quilômetros. Quem não ultrapassar a quilometragem poderá realizar o serviço de revisão “em um momento mais oportuno”, de acordo com a Hyundai.

Toyota e Lexus

O grupo japonês informou que os veículos cujas revisões venceram desde março terão nova tolerância para realizar o serviço. No caso da manutenção por tempo, o serviço ganhou 3 meses de prazo — ou seja, ao invés de fazer a revisão a cada 12 meses, o cliente poderá fazer até o 15º mês. A revisão por quilometragem subiu de 10 mil para 13 mil quilômetros.

O tempo de garantia foi estendido de 36 para 38 meses nos veículos Toyota, e de 48 para 50 meses nos veículos Lexus. O limite para a cobertura dessa garantia passou de 100 mil para 102 mil quilômetros para os clientes Toyota e Lexus.

Honda

A marca de carros japonesa também definiu uma tolerância de 3 mil quilômetros e de 3 meses, de acordo com a previsão original das revisões. A Honda diz que mantém a maior parte das oficinas abertas, e que está observando rigorosamente os protocolos de saúde e segurança.

Renault

Todas as revisões que venceram a partir de 10 de março poderão ser realizadas até 31 de maio. A montadora diz que essa data poderá ser prorrogada. Em relação à quilometragem, a Renault diz que uma tolerância extra de 1 mil quilômetros foi estabelecida.

Nissan

Os donos de veículos da marca terão mais 3 meses ou 3 mil quilômetros de tolerância para realizar as revisões. A montadora japonesa não menciona a extensão do prazo de garantia dos veículos.

Peugeot

Quem tem um veículo Peugeot e deveria ter feito a revisão em alguma data desde 17 de março ganhou uma tolerância de 3 meses ou de 3 mil quilômetros rodados. A marca não fala em extensão de garantia.

Citröen

Assim como a Peugeot, a marca francesa estendeu o prazo em 3 meses para todas as revisões que venceram desde o dia 17 de março. Além disso, a tolerância de quilometrem subiu de 1 mil para 3 mil quilômetros, sem perder a garantia do veículo. O tempo de garantia foi estendido em um mês.

O que dizem as entidades de proteção ao consumidor?

Apesar de a maior parte das montadoras já ter definido algum tipo de alívio, as entidades de proteção ao consumidor dizem que os donos dos veículos devem ter o direito de só realizar a manutenção programada quando a situação for normalizada.

Veja o posicionamento do Procon-SP sobre o assunto:

“Em função do momento excepcional pelo qual estamos passando, o órgão estadual entende que alguns prazos ficam suspensos.

Acatando as orientações das autoridades, o consumidor não deve se deslocar para levar o seu veículo para a concessionária autorizada para fazer a revisão prevista na garantia, ainda que esteja dentro do prazo estipulado originalmente. O serviço deve ser realizado assim que a situação for normalizada, sem que o consumidor tenha prejuízo.

É recomendável fazer o contato por escrito com o fornecedor, deixando registrado o motivo pelo não comparecimento.”

Quais cuidados tomar com os veículos que estão parados?

Nenhum carro foi feito para ficar sem uso por muito tempo. Veículos que estão parados na garagem ou em vagas na rua devem receber atenção periódica, para evitar que problemas surjam. Veja alguns desses cuidados:

  • Ligar semanalmente o veículo: é importante deixar o motor em funcionamento por aproximadamente 10 minutos. Mas atenção: só faça isso em um ambiente aberto ou ventilado, pois o carro emite gases que, acumulados no ambiente, são tóxicos.
  • Se possível, movimente o veículo: dar algumas voltinhas com o carro pode evitar que os pneus se deformem. Caso não seja possível andar por aí, só ande com o veículo para frente e para trás por uma distância suficiente para girar o pneu algumas vezes.
  • Ligue o ar condicionado: acionar o sistema de refrigeração da cabine reduz a chance de poeira e bactérias se acumularem nos filtros do ar condicionado.
  • Atenção para o acúmulo de sujeira na pintura: mesmo os carros que estão em ambientes fechados podem ter um acúmulo de poeira ou fuligem na lataria. O ideal é lavar o carro mensalmente, ou, caso não seja possível, cobri-lo com um pano ou capa.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.