A Olimpíada de Tóquio, que aconteceria entre 24 de julho e 9 de agosto, será adiada em um ano, acaba de afirmar o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe. O anúncio foi feito depois de nova conversa do governo japonês com o Comitê Olímpico Internacional (COI), que concordou com a decisão para preservar a segurança de atletas, funcionários e do público em meio ao avanço da pandemia do coronavírus em diversos países.

A data exata ainda não foi definida, mas não será depois do verão no Hemisfério Norte em 2021, disse Abe. Isso significa que o mais provável é que a competição seja realizada em período próximo ao que era previsto.

A realização do maior evento esportivo mundial estava em xeque desde que a pandemia do coronavírus ganhou força na China no início do ano, mas autoridades japonesas resistiam em concordar com o adiamento por causa dos pesados investimentos realizados pelo governo e pelas empresas nos últimos anos.

Nos últimos dias, porém, a pressão aumentou com os anúncios de desistência da Austrália e do Canadá e, ontem, com o pedido do maior e mais importante comitê olímpico, o dos Estados Unidos, pelo adiamento.

É a primeira vez que o maior evento esportivo mundial é adiado desde a realização de sua primeira edição na era moderna, em Atenas, em 1896 (exceto as edições em que foi cancelada por causa das duas guerras mundiais, em 1916, 1940 e 1944).

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.