Mais de 90% dos brasileiros estão cozinhando suas próprias refeições durante a quarentena imposta pelo avanço do coronavírus, mostra pesquisa realizada pela consultoria de alimentação fora do lar Galunion em parceria com o Instituto Qualibest.

Uma das razões, segundo a consultoria, é a preocupação com a segurança alimentar: a maior parte dos entrevistados afirmou que se preocupa com a forma de preparação do alimento pelos restaurantes ou padarias que entregam em casa ou oferecem “take away” (retirada no local).

“O crescimento da frequência na preparação de comida em casa está diretamente ligado à sensação de segurança no processo de alimentação”, afirma o estudo, ao ressaltar que 74% dos entrevistados ter respondido que a forma mais higiênica de se alimentar é cozinhar em casa.

Como foi feito o levantamento? A pesquisa “Alimentação na pandemia – como a Covid-19 impacta os consumidores e os negócios em alimentação” foi realizada entre 2 e 6 de abril de 2020.

Foram feitas 1.086 entrevistas com homens e mulheres das classes A, B e C. A grande maioria (96%) está em cidades com quarentena, e 83% estão em isolamento social.

Quanto movimenta o segmento alimentação fora do lar? Segundo a consultoria, restaurantes, padarias e bares movimentam R$ 400 bilhões por ano. “A ruptura dessa cadeia é capaz de impactar e economia de forma generalizada, não apenas o segmento em si”, afirma o levantamento.

Quais os principais achados da pesquisa? 

Veja abaixo as principais descobertas sobre o preparo de refeições em casa:

  • 93% dos consumidores ouvidos estão cozinhando seu próprio alimento;
  • 44% afirmaram que já cozinhavam e aumentaram o ritmo após a quarentena
  • 31% elevaram as compras no supermercado de ingredientes para cozinhar
  • 63% não estão pedindo entrega do supermercado em casa; apenas 15% adotaram esse hábito

Veja abaixo as principais descobertas sobre delivery:

  • Apenas 5% dos entrevistados afirmaram que não pediam delivery e passaram a pedir por causa da quarentena
  • 27% disseram que diminuíram os pedidos de delivery após a quarentena
  • 13% já pediam delivery e aumentaram o número de pedidos
  • 56% se preocupam se a comida é feita com higiene pelos restaurantes

“Pela primeira vez, o consumidor está mais preocupado com a higiene e limpeza do que com o sabor e o preço dos alimentos”, afirma o estudo, que cita que 54% dos entrevistados colocaram higiene e limpeza em primeiro lugar na hora de escolher um restaurante. “No delivery, isso se traduz na preferência, por exemplo, de embalagens que possam ser higienizadas e nas redes que oferecem brinde como sachê de álcool em gel”.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.