A semana foi marcada por dados sobre o desempenho do mercado de trabalho, preço dos alimentos, e novidades no mundo da mobilidade urbana no Brasil. O 6 Minutos fez um balanço de tudo isso, veja abaixo:

Criação de empregos formais em 2019 cresce, mas não muito além de 2018

Em 2019 o Brasil criou 644 mil novos postos de emprego formal – com carteira assinada. Na comparação com 2018, houve um aumento de 115 mil novas vagas, segundo dados do Caged. É o melhor resultado desde 2013. O saldo total de carteiras de trabalho assinadas foi de 39 milhões, ante 38,4 milhões em 2018. Veja neste link quais foram os setores que mais contrataram e os dados relativos a contratos de trabalho intermitente e parcial.

Prévias da inflação mostram preço da carne mais equilibrado

Dos índices que funcionam como prévia da inflação foram divulgados nesta semana: o IGP-M, pela FGV, e o IPCA-15, pelo IBGE. Ambos mostraram que os preços em geral ainda estão subindo, mas a escalada da carne perdeu ritmo. No cálculo do IPCA-15, por exemplo, os dados indicam um avanço de 4,83%, quase 13 pontos percentuais a menos que o observado em dezembro.

Consumidor termina 2019 com menos atrasos 

A inadimplência ainda é um problema para a economia do país. Mas os indícios de recuperação estão ajudando os brasileiros a reduzir suas contas atrasadas. Entre o final de 2018 e o de 2019,  o número de contas em atraso por pessoa caiu de 3,7 para 3,5 – ou de 234,4 milhões de dívidas para 226,6 milhões. Veja aqui que tipos de conta têm sido pagas em dia e o que está por trás disso.

FMI aumenta perspectiva de crescimento para Brasil nos próximos anos

Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou sua perspectiva de crescimento do Brasil em 2020, de 2% para 2,2%. A revisão para cima deve-se “à melhora do sentimento após a aprovação da reforma da Previdência e à redução dos problemas de oferta no setor de mineração”. Veja aqui como isso reflete na América Latina.

Com negócio em cheque, empresas reduzem frota de patinete e bicicletas compartilhadas

Depois da Lime, empresa de patinetes elétricos compartilhados, sair do país, nesta semana a Grow (resultado da união da Grin com Yellow) decidiu suspender a operação em 14 cidades do país. O serviço seguirá só  nas cidades de São Paulo (SP), no Rio de Janeiro (RJ) e em Curitiba (PR). A empresa alega necessidade de reestruturar o negócio. Mas enquanto isso, a Drop, brasileira, se prepara para começar a vender patinetes elétricos e dobráveis – mas não compartilhados. O 6 Minutos conversou com um especialista e te conta aqui o que pode ter dado errado na operação da Grow. E neste outro link, entrevistamos um porta-voz da Drop. Nesta sexta-feira,  a Uber anunciou sua entrar no negócio de patinetes.

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.