O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quinta-feira, em reunião com governadores, sanção ao projeto de auxílio de R$ 60 bilhões  a Estados e municípios.

Durante a reunião, da qual também participaram os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente pediu apoio aos governadores ao veto referente ao aumento para servidores públicos.

Segundo o presidente, a cota de sacrifício dos servidores é não ter reajuste até 31 de dezembro do ano que vem.

O que os participantes disseram? Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que a reunião é um momento “histórico na reconstrução do País”. Disse repetidamente que, “diferente do que muitos pensam ou falam”, não há uma “divisão” entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Em seu discurso inicial, o senador exaltou a “honra” que teve de construir um texto para a proposta que fosse capaz de “unificar as opiniões e construir o consenso”.

“Além dos R$ 60 bilhões (em repasses diretos), a gente também conseguiu, com apoio do governo federal, inserir cláusulas importantes”, apontou, referindo-se à suspensão do pagamento das parcelas da dívida dos entes federados com a União, que ele estimou em R$ 49 bilhões. “A gente conseguiu, nessa conciliação dentro do projeto, inserir segurança jurídica.”

 

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.