O presidente Jair Bolsonaro descartou nesta sexta-feira (dia 24) um aumento da tributação sobre a cerveja e produtos com açúcar, rejeitando possibilidade levantada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. O ministro contou na véspera que o governo considera subir alíquotas do que seria um “imposto do pecado”.

O que seria esse imposto? Guedes disse que pediu para a sua equipe estudos sobre mudanças em tributos sobre bens que fazem mal para a saúde, incluindo cigarros, bebidas alcoólicas e produtos com açúcar.

A ideia sugerida por Guedes é similar a uma medida recente do Reino Unido, onde vigoram desde abril “impostos do pecado” sobre produtos com elevados teores de sal, açúcar e gorduras, com o objetivo de combater a obesidade infantil.

O que disse o presidente? “Paulo Guedes, desculpa, você é meu ministro, te sigo 99%, mas aumento de imposto para cerveja, não”, disse Bolsonaro após desembarcar em Nova Déli, na Índia, em viagem oficial.

“Não tem como aumentar, não consegue mais aumentar a carga tributária no Brasil. Todo mundo consome algo de açúcar todo dia, não dá para aumentar”, acrescentou.

(Com Reuters)

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.