O presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Gustavo Montezano, fez na quinta-feira (12) um prognóstico negativo para um volumoso empréstimo concedido pelo banco. “A gente deve tomar um calote de Cuba de R$ 561 milhões”, disse Montezano, em transmissão ao vivo nas redes sociais ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Thursday, December 12, 2019

Segundo o executivo, o valor é referente ao que ainda não foi pago de um empréstimo de US$ 656 milhões feito pelo Brasil à ilha para obras de infraestrutura. O presidente Jair Bolsonaro contestou os critérios de concessão do crédito ao regime cubano. “O salário médio lá é de US$ 20, o que esse povo tem para comprar um importado? Para quê esse porto de primeira lá? Com toda certeza é uma questão ideológica”.

“Caixa preta”. Na transmissão de Bolsonaro, Gustavo Montezano disse que não foi feito “nada ilegal” no BNDES e reafirmou o compromisso de “abrir a caixa preta” da instituição.

Segundo o relatório da CPI que investigou o banco, uma das modalidades de desvio praticadas na instituição ao longo de gestões anteriores foram justamente os empréstimos a países estrangeiros, como o de Cuba.

Para o deputado Altinêu Côrtes (PL-RJ), relator da CPI, há elementos suficientes para afirmar que os créditos eram liberados desconsiderando as recomendações técnicas e com a finalidade de atender os interesses de grandes empreiteiras, em especial da Odebrecht.

Recursos para o Tesouro. Gustavo Montezano foi nomeado para presidir o BNDES em julho deste ano, substituindo o ex-ministro Joaquim Levy. Levy entrou em rota de colisão com o ministro da Economia, Paulo Guedes, ao se opor à devolução de recursos do banco para os cofres do Tesouro Nacional.

Na transmissão ao lado de Bolsonaro, Montezano adotou a cartilha do ministro, afirmando que o BNDES vai pagar o Tesouro e reduzir a sua participação em empresas, além de priorizar negócios menores e de maior impacto social. “O banco está focado agora em melhorar a vida do brasileiro”, disse.

(Com Estadão Conteúdo)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.