A ACSP (Associação Comercial de São Paulo) entregou hoje o protocolo de reabertura do setor para a Prefeitura de São Paulo. A reabertura do comércio depende da aprovação desse protocolo pela Vigilância Sanitária e deve ocorrer somente após 15 de junho.

Alfredo Cotait Neto, presidente da ACSP, diz que as empresas do comércio não estão aguentando mais ficar fechadas, pois há muito tempo passam por sérias dificuldades e a situação só piora a cada dia.

Os shoppings também entregaram hoje o protocolo para a prefeitura. “O documento possui mais de 20 medidas e passou pela validação da área de Consultoria do Sírio Libanês”, diz a Abrasce ( Associação Brasileira de Shopping Centers).

O que esse protocolo prevê? Para começar, as lojas terão que permitir a entrada de apenas 35% de sua capacidade de clientes. Tudo isso para evitar aglomerações. Veja outras medidas:

  • Redução da densidade ocupacional dos ambientes de trabalho em até 35%;
  • Evitar abrir os estabelecimentos nos horários de pico
  • Uso obrigatório de máscaras por todos os funcionários e clientes;
  • Disponibilizar álcool em gel 70% para uso obrigatório para higienização das mãos;
  • Deixar em evidência indicação de distanciamento mínimo de 1,50 m entre as pessoas;
  • Manter todas as áreas comuns arejadas com abertura das portas e janelas;
  • Higienizar, com frequência, as áreas comuns bem como os sanitários;
  • Preservar os grupos de risco em locais adequados e apropriados.

Mas é só isso? Não, o documento traz sugestões aos lojistas, como evitar promoções para que não haja aglomerações de pessoas, por exemplo.

O documento dá a entender que lojas com mais de 400 m² terão de restringir o espaço. “Lojas com áreas superiores a 400 m² poderão funcionar, desde que isolem a área remanescente com tapume e divisória. Assim, pode-se garantir a redução da densidade ocupacional em estabelecimentos de grande porte.”

 

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.