Em 2019, o salário do 1% da população mais rica foi R$ 28.659. Enquanto isso, o salário dos 50% dos mais pobres foi R$ 850. Ou seja: os mais ricos tiveram um salário 33,7 vezes maior que os mais pobres.

Os dados sobre a desigualdade de renda são da pesquisa Rendimento de Todas as Fontes e foram divulgados nesta quarta-feira (6) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Eles se referem ao ano de 2019 e não consideram nenhum efeito da pandemia.

Que outros números a pesquisa traz? O total pago em salário, pensão e programas do governo foi R$ 213,4 bilhões, cerca de 2% a mais que em 2018. Os 10% mais ricos abocanharam 42,9% desse valor. Os 10% mais pobres detinham 0,8%.

O número de pessoas com rendimento de todos os trabalhos subiu para 44,1% da população (92,5 milhões), ante 43,4% (90,1 milhões) em 2018.

Como ficou o Bolsa Família? O percentual de domicílios atendidos pelo Bolsa Família caiu de 13,7% em 2018 para 13,5% em 2019. Em 2012, 15,9% dos domicílios do país recebiam o Bolsa Família.

Qual o cenário dos que recebem aposentadoria ou pensão?A aposentadoria ou pensão alcançaram 14,7% da população em 2019. O Sul é a região com mais beneficiados (18,3%), enquanto o Norte tem menos (8,8%).

Para efeito de comparação, em 2012, 13,1% da população recebia auxílio do governo.

Ainda, seguro-desemprego, programas de transferência de renda do governo e rentabilidade da poupança (outros rendimentos) são alguns dos rendimentos de 7,8% dos brasileiros; pensão alimentícia, doação ou mesada, de 2,5%; e aluguel e arrendamento, de 2,1%.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.