O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou sua perspectiva de crescimento do Brasil em 2020. O país deve avançar 2,2% neste ano – 0,2 ponto percentual a mais do que no último relatório Perspectiva Econômica Global, divulgado em outubro.

Nesta segunda-feira (20), o Boletim Focus também elevou a previsão de crescimento em 2020, para 2,31%.

Quanto ao balanço de 2019, as estimativas também foram revisadas para cima. Nos cálculos do FMI, a economia brasileira cresceu 1,2% no ano passado. Os dados oficiais serão divulgados em março pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Por que a revisão foi feita? De acordo com o FMI, a revisão para cima deve-se “à melhora do sentimento após a aprovação da reforma da Previdência e à redução dos problemas de oferta no setor de mineração”.

Isso reflete na América Latina? Sim. As perspectivas melhores para o Brasil compensaram revisões para baixo do crescimento do México em 2020 e 2021, entre outros motivos pela fraqueza contínua do investimento, além de uma forte redução para o Chile após manifestações sociais ao final do ano passado.

Agora, a estimativa de crescimento da América Latina é de 1,6% em 2020 e 2,3% em 2021, respectivamente cortes de 0,2 e 0,1 ponto percentual na comparação com o relatório de outubro.

E como ficam os mercados emergentes? Para os mercados emergentes e em desenvolvimento, o FMI prevê expansão de 4,4% em 2020 e 4,6% em 2021, ante os 3,7% estimados para 2019. As contas para este ano e o próximo, entretanto, foram reduzidas em 0,2 ponto percentual cada em relação ao prognóstico de outubro.

(Com Reuters)

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.