O setor de serviços no Brasil encerrou 2019 com crescimento de 1%. Foi o primeiro resultado positivo após quatro anos de queda (entre 2015 e 2018). O avanço foi influenciado pela categoria de informação e comunicação, divulgou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (13).

A (PMS) Pesquisa Mensal de Serviços feita pelo IBGE considera o volume de serviços contratados, e o número positivo indica que houve aumento nesse tipo de consumo.

O que significa a categoria de informação e comunicação? Ela inclui serviços de tecnologia como telecomunicação, tecnologia da informação e serviços audiosivuais. O crescimento do grupo foi de 3,3% no acumulado de janeiro a dezembro, com destaque para a subcategoria tecnologia da informação (13%).

Esse dado de 13% reflete o aumento de serviços relacionados a portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet.

“Essa atividade inclui, por exemplo, as ferramentas de busca. Esse crescimento é justificado também pela forma com que essas multinacionais fazem propaganda nas mídias sociais, o que se reflete no aumento da receita”, explica Rodrigo Lobo, gerente da pesquisa do IBGE.

O efeito Uber: O IBGE destaca também os serviços de locação de automóveis, que podem ser influenciados tanto pela mudança de comportamento dos brasileiros, que optam por não ter carro e utilizar aplicativos de transporte, quanto pelo aumento de motoristas, que alugam o veículo para trabalhar.

E como foi o mês de dezembro? O resultado foi negativo: -0,4%. Três das cinco atividades consideradas na pesquisa recuaram no mês:

  • Transportes e correio (-1,5%)
  • Serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,3%)
  • Serviços prestados às famílias (-1,3%).

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.