O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, afirmou que, na eventualidade de ser necessária a renovação de algum auxílio emergencial, o governo tem que focar de fato nas pessoas mais pobres e de menor renda.

Em entrevista à GloboNews nesta quinta-feira (28), ele reconheceu que há discussões no Congresso e no governo sobre a prorrogação do auxílio emergencial, mas não exatamente no valor de R$ 600.

Sobre a transferência de recursos da União a estados e municípios, ele estimou que ela deverá ser feita até o final da próxima semana.

Mansueto avaliou que a ajuda aos entes regionais atende a demanda nesse primeiro momento, já que contempla a injeção de R$ 60 bilhões e a suspensão de dívidas junto à União. Caso o socorro seja adequado, o governo irá sentar com os parlamentares daqui a dois, três meses para novamente discutir o tema, disse ele.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.