Uma semana de recordes: o dólar bateu o R$ 4,38 na quinta-feira (13), em meio a um cenário de juros menores no Brasil e a economia dos Estados Unidos fortalecida. O trabalho informal também foi recorde em 2019, segundo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Também houve continuação na história do ICMS sobre o combustível e dados setoriais sobre comércio e varejo.

Taxa de informalidade bate novo recorde e ultrapassa 50% em 11 estados

Quem acreditou que o crescimento da economia ganharia velocidade ainda em 2019, está frustrado. É que o mercado de trabalho é peça-chave da retomada, e dados da PNAD divulgados pelo IBGE mostraram que a informalidade segue batendo recordes. Em 2019, em 11 de 26 Estados, mais de 50% dos empregados tinham vínculos informais. Quanto maior a informalidade, menor a arrecadação dos governos para a Previdência Social  e menor é a segurança dos funcionários. O 6 Minutos detalhou os dados por região.

Dólar bate recorde e chega a R$ 4,38 na semana. Caro ou novo normal?

O real está cada vez mais desvalorizado frente ao dólar. No início de janeiro, a moeda norte-americana rondava os R$ 4,02, e nesta semana bateu os R$ 4,38. Por trás disso está a combinação de juros na mínima histórica no Brasil, a economia norte-americana forte e incertezas externas como a epidemia de coronavírus. O 6 Minutos mostra se o dólar está caro ou se esse é o novo normal, como diz o ministro Paulo Guedes, ou sugere o presidente do Banco central.

ICMS sobre combustível não vai mudar agora

Você se lembra que o presidente Jair Bolsonaro criticou os preços dos combustíveis e provocou os governadores sobre ICMS cobrado? O 6 Minutos checou que os postos de combustíveis também têm responsabilidade no preço cobrado dos motoristas. Mas de qualquer forma, a situação ficou tensa para os governadores. Nesta semana, o ministro Paulo Guedes afirmou que a redução de impostos sobre combustíveis é um plano de médio a longo prazo e que depende de reformas, num momento em que tanto União quanto Estados não podem abrir mão de receitas. Veja aqui os bastidores da fala do ministro.

Em 2019, comércio e serviços tiveram crescimento positivo

No acumulado de janeiro a dezembro de 2019, o volume de vendas no comércio cresceu 1,8% na comparação com igual período do 2018. O volume de serviços consumidos também cresceu, 1%. Ainda que os números tenham sido positivos no ano, o resultado mensal de dezembro ficou bem aquém do esperado no varejo e também no serviço mostram que o país desacelerou, na contramão do que se viu no decorrer do ano.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.