Qual o tamanho do impacto do fechamento de lojas e atividades de serviços no faturamento de cada um dos setores? E quanto supermercados e farmácias estão vendendo a mais nestes dias de crise e incertezas causadas pela pandemia do coronavírus? Um levantamento da Elo, uma das maiores bandeiras de cartões do Brasil, dá a dimensão da queda que chega a 91% no caso do comércio de vestuário e a 75% para as lojas de departamento.

A Elo é a terceira maior bandeira de cartões do país, com cerca de 15% do mercado (dados do fim de 2019). Na ocasião, tinha emitido cerca de 132 milhões de cartões de débito e de crédito em todo o país.

Veja abaixos os números ao qual o 6 Minutos teve acesso:

Variação do faturamento total de compras com cartão de débito na última segunda-feira (dia 23), com dados para todo o Brasil*:

  • Supermercados: +20%
  • Drogarias e farmácias: +15%
  • Postos de combustíveis: -35%
  • Lojas de construção: -46%
  • Bares e restaurantes: -69%
  • Lojas de departamento: -75%
  • Turismo: -78%
  • Estacionamentos: -86%
  • Vestuário: -91%

*Na comparação com a média para o mesmo dia da semana entre janeiro e fevereiro.

Variação do faturamento total de compras com cartão de crédito na última segunda-feira (dia 23), com dados para todo o Brasil*:

  • Supermercados: +20%
  • Drogarias e farmácias: +13%
  • Postos de combustíveis: -36%
  • Lojas de construção: -50%
  • Lojas de departamento: -57%
  • Bares e restaurantes: -58%
  • Vestuário: -82%
  • Estacionamentos: -82%
  • Turismo: -83%

*Na comparação com a média para o mesmo dia da semana entre janeiro e fevereiro.

Supermercados e farmácias: até 83% de alta

Os dados da Elo mostram ainda que as vendas de supermercados (em lojas físicas no Brasil) com cartão de crédito já subiam fortemente, na casa de 20%, duas semanas atrás, no dia 13. Essa alta foi acelerando até chegar a 83% na quarta da semana passada, sempre na comparação com o mesmo dia da semana em janeiro e fevereiro deste ano.

Mas, desde então, começa a perder força, o que sugere uma volta gradual à normalidade, na mesma linha apontada por um levantamento da Apas (Associação Paulista de Supermercados) divulgada nesta quinta-feira.

O aumento das vendas em farmácias com cartão de crédito também começa a desacelerar depois de igualmente ter atingido um pico de crescimento de 70% no mesmo dia 18 de março, a quarta-feira da semana passada.

Demais setores: queda livre

Por outro lado, o faturamento de lojas físicas dos demais setores do comércio e de serviços com cartão de crédito, em todo o país, está em queda sucessiva desde a segunda-feira da semana passada (16 de março), quando recuou 7%. A queda chegou aos 51% no sábado e saltou para 57% na última segunda, dado mais recente.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.