Expectativas mais positivas na guerra comercial e alta nas commodities e no setor financeiro ajudaram a bolsa brasileira nesta segunda-feira (9). O Ibovespa fechou em leve alta, de 0,24%, aos 103.180 pontos. O dólar também subiu: elevação de 0,46%, a R$ 4,09.

Segundo o analista Rafael Passos, da Guide Investimentos, o dia refletiu a expectativa para a semana: Brasil sem sobressaltos, navegando pelas ondas do exterior. Enquanto o clima seguir bom entre Estados Unidos e China, a bolsa deve ir subindo a passos lentos.

“O mercado lá fora começou bem e a bolsa teve uma manhã de alta acelerada. À tarde, depois que lá esfriou, o Ibovespa seguiu e esfriou também”, explica. A balança ficou levemente positiva pelas altas no setor financeiro e por duas boas notícias vindas da China, um combo que compensou um movimento agressivo de realização de lucros em outros setores.

As boas novas vindas do mercado chinês são a alta no preço do minério de ferro, que impulsionou as siderúrgicas brasileiras, e a autorização para a importação de carne de 25 fábricas no Brasil.

O movimento no setor de commodities atraiu uma notícia boa e outra ruim. A parte boa é que Vale e Petrobras, com peso no Ibovespa, subiram. A ruim, ao menos por hoje, é a realização de lucros em setores que vinham em alta expressiva, varejo e construção, com os investidores redirecionando dinheiro para esse outro segmento.

Bancos continuam se destacando

Um destaque a alguns dias da bolsa brasileira é o setor financeiro. Os bancos brasileiros, em especial o Itaú, se destacaram no pregão desta segunda.

Segundo Rafael Passos, da Guide, é um movimento setorial, que reflete dois pontos principais: a busca, por parte de investidores estrangeiros, de papeis de risco moderado, e a sinalização do Banco Central de que vai reduzir os compulsórios, a poupança obrigatória das instituições.

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.