Apesar da alta de 10,2% do Ibovespa no mês passado, os investidores estrangeiros, impactados pelo forte movimento de aversão a risco por causa dos riscos trazidos pelo coronavírus à economia global, retiraram R$ 5 bilhões da bolsa brasileira em abril.

Enquanto isso, o investidor pessoa física colocou R$ 7,2 bilhões no mercado acionário local no mesmo período, mostram dados da B3.

Os chamados investidores institucionais, ou seja, os gestores de fundos de investimentos, também mais venderam do que compraram: os saldos das duas categorias de investidores ficaram negativos em R$ 3,1 bilhões e R$ 206,6 milhões, respectivamente.

Por quê os investidores PF têm o saldo mais positivo na bolsa neste momento? O investidor pessoa física administra seu próprio dinheiro, diferentemente de um gestor de fundo de investimento, por exemplo, que precisa prestar contas a seus cotistas todos os meses sobre o que acontece com a rentabilidade do investimento.

Apesar de a bolsa ter subido no mês passado, no ano a queda acumulada do Ibovespa é de 31,2%.

Além disso, uma possível alternativa de investimento, que é a renda fixa, está rendendo muito pouco, já que a taxa básica de juros, a Selic, está no menor nível da história (3,75% ao ano) e deverá sofrer novos cortes.

E no caso dos estrangeiros, por que estão saindo da bolsa? O momento entre investidores estrangeiros é de forte aversão ao risco, já que a pandemia de coronavírus traz elevadas incertezas sobre a capacidade de recuperação da economia global. A tendência atual é de fuga de ativos de risco de economias emergentes, como a brasileira.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.