A bolsa de valores brasileira fechou em queda nesta quinta-feira (dia 9), sem conseguir sustentar o patamar dos 100 mil pontos reconquistado momentaneamente no começo do pregão. O balde de água fria veio dos mercados externos, ainda atentos ao aumento no número de casos de coronavírus nos Estados Unidos.

O Ibovespa caiu 0,61%, a 99.160 pontos. Na máxima, atingida de manhã, o índice chegou a 100.191 pontos, superando os 100 mil pontos pela primeira vez desde março. No entanto, as baixas nos mercados americanos acabaram revertendo o rumo da bolsa brasileira. O Dow Jones recuou 1,38% e o S&P 500 teve queda de 0,56%.

Os Estados Unidos registraram mais de 60 mil novas infecções pelo covid-19 ontem (dia 8), o que representa um recorde global para um dia. Os estados da Flórida e do Texas registraram um aumento recorde de mortes em um único dia. Esses números trouxeram de volta a preocupação com outra rodada de paralisações de empresas para conter um salto em casos da doença.

Dólar

O dólar fechou perto da estabilidade ante o real nesta quinta-feira. A moeda americana recuou 0,07%, a R$ 5,34. No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de moedas de países desenvolvidos subia 0,31% no fim da tarde.

Ações que mais subiram e que mais caíram

Maiores altas:

Maiores quedas:

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.