Os brasileiros não são mais obrigados a terem seguros por um ano todo. As apólices para carros, celulares, bens eletrônicos e até residências agora podem ter vigência reduzida e período intermitente, autorizou a Susep (Superintendência de Seguros Privados) nesta quinta-feira (29) em uma publicação no Diário Oficial da União.

Pode explicar melhor? Tome como exemplo o seguro de veículos. O segurado poderá contratar um produto e ter a opção “liga-desliga”, e também optar por intervalos de contratação diferentes da praxe do mercado, que é o plano anual. Na prática, as seguradoras estão autorizadas a oferecer apólices de seguros de acordo com a conveniência do consumidor.

O que muda na oferta do produto? Ao adquirir a assinatura de um produto, o segurado poderá desativá-la e ativá-la novamente de acordo com seu interesse.  Ou pode contratar só por um mês, por exemplo. Outra novidade é que a contratação poderá ser feita individual ou coletivamente.

Como isso impacta o setor segurador? A oferta de produtos mais flexível pode baratear a apólice e aumentar o acesso aos seguros. Com a circular 592 publicada pela Susep, o cenário pode potencialmente mudar. Seguros customizados tendem a ficar mais baratos, com preços e formatos mais ajustáveis ao interesse de cada um.

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.