As concessões de crédito no período de 1º de março a 22 de maio de 2020 somaram R$ 914,2 bilhões, incluindo contratações, renovações e suspensão de parcelas, segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Qual o contexto? Com a crise do coronavírus, muitas pessoas e empresas estão com dificuldade de pagar as parcelas dos créditos contratados. Por isso, empresas e consumidores passaram a ter uma carência entre 60 a 180 dias para pagar suas prestações.

Como está essa renegociação? Os bancos negociaram 9,7 milhões de contratos com operações em dia, com saldo devedor de R$ 550,1 bilhões nesse período. A soma das parcelas suspensas dessas operações repactuadas totaliza R$ 61,5 bilhões.

Quem são esses que suspenderam? De acordo com a Febraban, a maioria dos agentes beneficiados com prorrogação de parcelas é representada por pequenas empresas e pessoas físicas (R$ 33,1 bilhões).

E os juros? De acordo com a Febraban, a taxa de juros para o conjunto das operações de crédito recuou de 23,1% para 21,5% ao ano. E o spread (diferença entre taxa de captação de recursos pelos bancos e a cobrada dos clientes) médio das operações de crédito caiu de 18,6% para 17,2%.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.