A forte queda da rentabilidade da renda fixa e o crescimento de gestores independentes e plataformas digitais vêm levando os grandes bancos a investirem pesado no aumento da qualificação dos seus gerentes.

Dado da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) aponta que nos últimos anos houve um forte crescimento da concessão de um tipo de certificado que exige maior conhecimento de produtos de investimento, a CEA (Certificação de Especialista em Investimentos Anbima).

Esse diploma permite ao profissional inclusive recomendar aplicações, diferentemente das CPAs 10 e 20 (Certificação Profissional Anbima), que autorizam apenas a venda desses produtos.

Quanto cresceu a concessão da CEA pela Anbima? O certificado foi concedido a 3,3 mil pessoas no ano passado, uma alta de 111,3% na comparação com 2018. Ou seja, o número mais que dobrou.

Quando se compara com 2015, último dado disponibilizado pela entidade, o aumento é de 413%.

“As instituições financeiras começaram a investir na figura do especialista em investimentos para falar com o público de alta renda interessado em diversificar“, explica Daniel Pfannemüller, gerente de Certificação da Anbima. “Diferentemente de outros profissionais que lidam com distribuição de investimentos, o especialista que tem a CEA é autorizado a recomendar determinadas aplicações.”

Segundo ele, essa dinâmica não é o único fator a explicar o crescimento. Outros atores do mercado, em especial as cooperativas de crédito, vêm estimulando que seus profissionais busquem mais qualificação.

Por quê essa demanda maior por profissionais mais qualificados? A alta se dá em um ambiente de perda de rentabilidade dos produtos de renda fixa, que são mais simples e menos arriscados.

Além disso, o ambiente é de concorrência muito maior no mercado. Ao investir em qualificação, os bancos vêm tentando reter os clientes de alta renda, que se informam cada vez mais sobre os produtos disponíveis.

Como mostrou esta reportagem do 6 Minutos, as 5 maiores instituições financeiras do país (Itaú Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa e Santander) estão perdendo cotistas de fundos para as gestoras independentes.

De 2013 a 2017, os “bancões” foram responsáveis por captar 85% dos recursos aplicados em fundos de investimentos. A mudança foi drástica e rápida: nos últimos dois anos, a equação inverteu, e as gestoras captaram 88% dos recursos, enquanto os bancos ficaram com apenas 12%.

“Estamos na era do investimento 2.0. O nível de qualificação do profissional de investimentos passa a ser acima do que é obrigatório”, avalia Pfannemüller, da Anbima. “Os profissionais vem buscando certificações mais complexas e os associados da Anbima também estimulam para que isso aconteça.”

E como estão se comportando as outras certificações concedidas pela Anbima? Todas as certificações vêm apresentando crescimento de 2016 para cá.

No caso da CPA-10, que é a porta de entrada para alguém vender produtos financeiros para clientes, houve um crescimento de 9,6% nas certificações concedidas no ano passado, para 26,8 mil.

Essa expansão reflete uma mudança na estrutura organizacional dos bancos, que vêm estimulando que profissionais de áreas operacionais, como caixas, também passem a comercializar aplicações. Esses funcionários passam a ser treinados para obter o CPA-10.

“Nos grandes bancos de varejo, os caixas já têm o papel de conversar e interagir com o cliente”, afirma o representante da Anbima.

O CPA-20, que é uma qualificação que permite que o gerente venda produtos financeiros para clientes do segmento de alta renda, teve uma alta menor (de 2,33% em 2019, para 20,3 mil). Neste caso, a “onda” de crescimento nas certificações aconteceu antes, em 2017.

“Há dois, três anos, vários associados começaram a estimular que os profissionais buscassem também a CPA-20. De um ano para cá, começou a se intensificar o processo de buscar certificações mais complexas, como a CEA”, explica Pfannemüller.

E a certificação para quem quer trabalhar com gestão de recursos de terceiros? A concessão da CGA (Certificação de Gestores Anbima), que permite que os certificados façam a gestão de recursos de outras pessoas, como fundos, também subiu no ano passado.

Em 2019, foram concedidas 347 dessas certificações, 20,9% a mais do que em 2018. “A partir do ano que vem, vamos fazer uma certificação CGA com dois módulos, um básico, em que a certificação será de conhecimentos essenciais, e um segundo módulo, mais incrementado”, diz o representante da Anbima.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.