Com a queda da taxa de juros básica (Selic) para 5% ao ano, a rentabilidade dos CDBs (Certificados de Depósito Bancário) dos grandes bancos, que pagam as menores taxas, já começa a ficar no zero a zero em 12 meses quando se considera a inflação projetada para o período.

A valorização desses mesmos papeis, mas emitidos por bancos pequenos e médios, que remuneram melhor o investidor, ainda ganha da variação de preços.

O CDB é um título de renda fixa emitido pelos bancos e funciona como um empréstimo de dinheiro que você faz para a instituição financeira, que te remunera com juros.

Como está a rentabilidade dos CDBs dos grandes bancos? Um levantamento feito pelo comparador de serviços financeiros Yubb na última sexta-feira para o 6 Minutos mostra que as grandes instituições financeiras pagam hoje entre 70% e 85% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário, que é a referência do mercado para investimentos de renda fixa) aos investidores.

Isso significa uma rentabilidade que fica entre 3,5% a 4,25% ao ano. Já o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) projetado para os próximos 12 meses pelos analistas ouvidos no boletim Focus, do Banco Central, é de 3,54%.

Ou seja, na prática não há valorização dos recursos no caso dos bancos que oferecem remuneração de 70% por seus CDBs.

“Investir no Tesouro Selic, que é o título mais seguro do Brasil hoje, oferece uma rentabilidade superior à dos grandes bancos, já que rende 100% da Selic”, observa Débora Duarte, líder de conteúdo do Yubb. “Essa desvantagem fica ainda mais acentuada em um momento como o atual, porque a Selic está em queda. Se a taxa continuar a cair, a rentabilidade pode ficar inclusive negativa”.

E quais as taxas pagas pelos bancos pequenos e médios? No caso dos bancos menores, a remuneração ao investidor varia entre 100% e 120% do CDI, o que significa uma rentabilidade entre 5% e 6% ao ano, segundo dados do Yubb. Nesse caso, a valorização projetada para 12 meses ainda supera a inflação.

Se a Selic for reduzida para 4,5% ao ano na próxima reunião, o que deve acontecer? A rentabilidade dos CDBs irá cair ainda mais. Nesse caso, mantidas as taxas pagas atualmente pelos grandes bancos, a rentabilidade do CDB que menos paga seria de 3,15% em 12 meses, ou seja, já seria negativa quando se leva em conta a inflação.

O CDB de banco grande que mais remunera renderia 3,82%, ou seja, apenas um pouco acima do IPCA em 12 meses.

No caso da rentabilidade dos pequenos e médios, ela variaria entre 4,5% e 5,4% ao ano, ainda acima da inflação.

Por que os bancos pequenos e médios pagam mais aos investidores por seus CDBs? Porque precisam captar dinheiro no mercado. Ao mesmo tempo, esses produtos também costumam ser de prazo mais longo para resgate.

“Os bancos grandes pagam menor por uma razão simples: eles não precisam captar clientes, pois já possuem. Os pequenos e médios precisam de recursos para financiar suas operações”, avalia Débora, do Yubb.

Não é mais arriscado comprar um CDB de banco pequeno ou médio? Sim, é mais arriscado, e por isso mesmo os bancos de menor porte remuneram melhor o investidor.

Ao mesmo tempo, o FGC (Fundo Garantidor de Crédito) garante investimentos em até R$ 250 mil em depósitos ou créditos do investidor. Em geral, o pagamento é feito após entre 30 e 45 dias em caso de falência, intervenção ou liquidação.

Segundo Débora, uma boa forma de saber se o banco é sólido é perguntar a ele o seu índice de Basileia, que é o indicador que mede a solvência de determinada instituição financeira. Esse índice expressa a relação entre os capitais próprios e os capitais de terceiros dessa instituição.

Quanto maior esse percentual, mais sólido é o banco. No Brasil, esse índice deve ser de no mínimo 11,5%, para os grandes bancos, e de 10,5%, para os bancos pequenos e médios.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.