Companhias aéreas globais levantaram mais de US$ 17 bilhões em empréstimos bancários em março para reforçar as finanças em meio ao surto de coronavírus.

Operadoras dos EUA foram as mais ativas, com linhas de crédito de US$ 12,5 bilhões, segundo dados compilados pela Bloomberg. A Delta Air Lines liderou os empréstimos neste mês, tendo levantado US$ 5,6 bilhões, seguida pela Singapore Airlines, que conseguiu US$ 2,8 bilhões com um empréstimo-ponte, e pela United Airlines, que levantou US$ 2,5 bilhões.

Companhias aéreas solicitaram novos empréstimos ou acessaram linhas de crédito existentes que normalmente não usavam antes da crise de saúde. Globalmente, empresas de todos setores captaram mais de US$ 230 bilhões com bancos comerciais desde o início de março em resposta ao vírus.

Onze outras companhias aéreas, como a British Airways e a Etihad Airways, têm um total de cerca de US$ 8 bilhões em crédito rotativo que ainda não foi acessado, segundo os dados.

A EasyJet disse na segunda-feira que está em negociações com “provedores de liquidez”, depois de aterrar toda a frota. A companhia aérea de baixo custo do Reino Unido tem crédito rotativo de US$ 500 milhões, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

O setor de aviação também tem solicitado ajuda de governos, como aéreas da Alemanha, Tailândia, e EUA.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.