A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) rejeitou o último recurso contra um acordo de compartilhamento de infraestrutura da rede móvel (ran-sharing) entre as operadoras TIM e Vivo. Agora, elas poderão usar a mesma rede para expandir a cobertura de roaming em cerca de 2,7 mil municípios com menos de 30 mil habitantes.

O acordo já havia sido aprovado pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), mas havia sido contestado pelas operadoras Claro e Algar Telecom.

O que diz a decisão? Que o compartilhamento de infraestruturas deve ser estimulado. Claro e Algar Telecom alegavam que o acordo prejudicava o roaming. A Anatel reconheceu que o serviço tem problemas, mas considerou que eles nada têm a ver com o acordo entre TIM e Vivo.

A Anatel determinou ainda que as áreas técnicas da agência avaliem a melhor forma de lidar com essas falhas e expandir o serviço em municípios, rodovias e estradas.

O que disse a TIM? “Compartilhamento de redes significa uso racional de recursos e investimentos mais eficientes em localidades menores, que se traduzem em melhora da cobertura e da qualidade”, disse o CEO da TIM, Pietro Labriol.

As negociações entre TIM e Vivo sobre o tema começaram em julho e foram concluídas em dezembro de 2019.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.