A Petrobras informou nesta quinta-feira (13) que teve aceito pela B3 um pedido para deixar o Programa Destaque em Governança de Estatais, criado para atestar esforços de estatais comprometidas com a governança.

O pedido foi registrado no final de janeiro deste ano, como o 6 Minutos noticiou aqui.  Na ocasião, a Petrobras disse que já estava há dois anos no programa e que evoluía no aperfeiçoamento das práticas.

O que é o Programa de Destaque em Governança de Estatais? O projeto da B3, criado em 2015, na esteira dos escândalos de desvios de dinheiro público revelados pela Operação Lava Jato, permite a adesão de empresas que sigam diversos quesitos de governança, incluindo medidas para evitar indicações políticas.

Por que a Petrobras decidiu deixar o programa? A razão não ficou clara. No comunicado, a empresa lembrou que aderiu ao programa em agosto de 2017 e que “continuou evoluindo no aperfeiçoamento de suas práticas de governança. A companhia também aderiu ao segmento especial de listagem Nível 2 de Governança Corporativa da B3, o que significa compromisso em melhorar a transparência e a gestão dos seus negócios.

O que esperar da companhia agora? A empresa alega que continuará ajustando sua governança e segue no Nível 2 de Governança Corporativa da B3, que continua supervisionada pela bolsa paulista. Incluída nesse programa, a Petrobras precisa seguir critérios de transparência de suas decisões, tem regras específicas na divulgação dos balanços e deve ouvir acionistas de maior peso — aqueles que possuem ações ordinárias.

“A Petrobras reitera seu compromisso com a contínua melhoria de suas práticas, primando sempre por maior eficiência e geração de valor, sem, contudo, diminuir os seus controles internos”, informou em comunicado aos investidores.

(Com Reuters)

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.