A guerra das maquininhas beneficiou os empresários que precisam aceitar pagamentos de seus clientes. Dados divulgados hoje pela Abecs (associação que representa o setor de meios eletrônicos) mostram que as taxas cobradas pelas transações com cartões, a chamada MDR, caíram muito nos últimos 10 anos.

A taxa média do cartão de crédito passou de 2,98% para 2,27% entre o terceiro trimestre de 2009 e o mesmo período de 2019. Já a taxa média de desconto do cartão de débito passou de 1,57% para 1,14% em igual período.

Quem paga essa taxa? Os empresários que usam maquininhas de cartão pagam uma taxa por cada compra paga com cartão, seja ele de débito ou de crédito. Por isso, alguns estabelecimentos preferem receber em dinheiro, mesmo com toda dificuldade de troco e risco à segurança. Dependendo do valor, o ganho é muito pequeno após o pagamento das taxas.

Como isso está ampliando a utilização de meios de pagamento eletrônicos? O presidente da Abecs, Pedro Coutinho, disse que existem mais MEIs (microempreendedores individuais) utilizando maquininhas.

Segundo ele, o país já tem 9 milhões de MEIs e mais de 50% já estão utilizando maquininhas para receber seus pagamentos. “Isso é um aspecto importante porque ter acesso a um meio de pagamento digital traz dignidade, além de ser um fator importante de inclusão”, disse Coutinho.

Por que as taxas caíram? O presidente da Abecs relacionou esse movimento a dois fatores: aumento da concorrência e digitalização. “A concorrência no setor [de pagamentos] aumentou muito nos últimos três anos.”

O brasileiro está diversificando seus meios de pagamento? Pesquisa realizada pela Abecs em parceria com o Instituto Datafolha aponta que 48% dos usuários de cartão fazem compras pela internet. Dessas transações, o cartão de crédito responde por 82% dos pagamentos no e-commerce. O celular é o canal mais usado para as compras online. A preferência pelo smartphone cresceu de 53% para 72%, entre 2017 e 2019, e continua muito acima dos outros canais, como laptop (30%), desktop (28%) e tablet (4%).

A pesquisa constatou o aumento do uso dos cartões com tecnologia NFC, que permite o pagamento por aproximação. O percentual de uso do NFC subiu de 5% para 10%, mas ainda é muito pequeno em comparação com os outros tipos de cartão.

Utilização

As compras com cartões de crédito, débito e pré-pagos movimentaram R$ 461 bilhões no 3º trimestre de 2019, uma alta de 18% em comparação com igual período do ano anterior.
As transações com cartões de crédito tiveram maior peso no total, com R$ 291,6 bilhões e crescimento de 19,3%. Os cartões de débito somaram R$ 163,9 bilhões (+14%) e os cartões pré-pagos, R$ 5,4 bilhões (+85,5%).

No acumulado do ano, entre janeiro e setembro, o uso dos cartões chegou a R$ 1,31 trilhão, com crescimento de 18% em relação ao mesmo intervalo de 2018. Em quantidade de transações, todas as modalidades de cartão juntas registraram 15,9 bilhões, também no acumulado, o que representa um crescimento de 17,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.com.br/whatsapp.