O consumidor aceita pagar mais caro por produtos sustentáveis e de procedência transparente. Isso é o que mostra pesquisa divulgada pela IBM sobre tendências globais de consumo, realizada em parceria com a NRF (National Retail Federation).

O que a pesquisa descobriu? Um terço de todos os consumidores deixará de comprar seus produtos preferidos se perderem a confiança na marca. Mais que isso: um terço já parou de comprar suas marcas favoritas em 2019. A prioridade agora é das empresas sustentáveis, transparentes e alinhadas com os principais valores do comprador.

Como isso interfere no hábito de compra? De acordo com a pesquisa, os clientes estão dispostos a pagar mais e até mudar seus hábitos de consumo pelas marcas que apostam na sustentabilidade e transparência da origem do que vendem.

Que mais a pesquisa descobriu? Outro dado interessante é a forma como as pessoas compram, geralmente enquanto fazem outra coisa. Por isso é normal encontrar pessoas fazendo compras em lojas físicas e, ao mesmo tempo, pelo celular. É o que a pesquisa identificou como micro-momentos: comprar quando e onde for mais conveniente.

Veja alguns números da pesquisa:

  • 70% desses compradores que valorizam o propósito pagam um valor adicional de 35% do custo inicial para compras sustentáveis
  • 57% estão dispostos a mudar seus hábitos de compra para ajudar a reduzir o impacto ambiental negativo.
  • 79% de todos os consumidores afirmam ser importante que as marcas forneçam autenticidade garantida

Mas será que o varejo está preparado para esse novo consumidor? Vai ser preciso investir em inovação, transparência para ganhar esse comprador. Veja recomendações da IBM para os varejistas encararem esse novo consumidor:

  • Transparência: as marcas voltadas aos consumidores agora precisam se diferenciar, oferecendo acesso a informações detalhadas que anteriormente eram desnecessárias, como a forma como seus produtos são fabricados, a qualidade dos ingredientes, se eles são sustentáveis ou de origem ética, e em que condições.
  • Avaliação do impacto: as marcas que atuam com um propósito também devem ajudar a construir uma economia circular e sustentável para as gerações futuras.
  • Inovações na loja física: os varejistas precisam inovar na loja física para fornecer uma experiência consistente da marca em todos os canais.
  • Quem a pesquisa ouviu? Foram entrevistados cerca de 19 mil consumidores de 28 países, incluindo o Brasil), com idades entre 18 e 73 anos.

“Os compradores são cada vez menos incentivados por serviços como entrega no mesmo dia ou coleta gratuita na loja – ou influenciados por promoções e benefícios direcionados -, mas pagam preços mais alto por produtos alinhados com seus valores. A disposição de pagar esse diferencial por marcas confiáveis é mais alta para os compradores da geração Z”, disse disse Mark Mathews, vice-presidente de desenvolvimento de pesquisa e análise da indústria da NRF.

Quem a pesquisa ouviu? Foram entrevistados cerca de 19 mil consumidores de 28 países, incluindo o Brasil), com idades entre 18 e 73 anos.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda? Você pode mandar suas perguntas para o e-mail [email protected]. Quem nos segue no WhatsApp também pode mandar sua dúvida. Se você quiser entrar no grupo, esse é o link: https://6minutos.com.br/whatsapp.