O Burger King fechou o terceiro trimestre do ano com um lucro líquido de R$ 5,4 milhões. Na comparação com igual período de 2018, o lucro líquido encolheu 61,6%. Esse resultado foi puxado pelo aumento do custo das mercadorias vendidas nos restaurantes e despesas com abertura de novas lojas e ampliação dos canais digitais.

Como foram as vendas do Burger King? A receita operacional líquida somou R$ 723 milhões, um avanço de 18,4% em relação ao terceiro trimestre de 2018. Esse resultado foi influenciado pelo crescimento de 4% nas vendas comparáveis e evolução de desempenho dos canais digitais. O grupo destacou também dois lançamentos de produtos importantes no período: o Prime Blend Cheese, da linha premium, e o Rebel Whopper, o primeiro hambúrguer feito 100% a base de plantas lançado por uma grande rede de fast-food no Brasil.

E o que pesou nas despesas? As despesas totais de restaurantes totalizaram R$ 667 milhões, o que corresponde a 92,2% da receita operacional líquida. O custo da mercadoria vendida atingiu 38,2% da receita operacional líquida. Segundo o Burger King, houve aumento nos gastos com terceiros devido ao crescimento de vendas em canais digitais e “maiores despesas  pré-operacionais refletindo o maior número de aberturas de restaurantes da marca Popeyes”.

Como está o ritmo de abertura de lojas? O grupo abriu 25 unidades no terceiro trimestre, sendo 19 da marca Burger King e 6 da bandeira Popeyes. Com isso, o grupo encerra o trimestre com 817 lojas Burger King e 23 da Popeyes.

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.