O Sem Parar começou a testar um sistema de pagamento por reconhecimento facial na cidade de São Paulo. Por enquanto, a tecnologia tem previsão de funcionar a partir de setembro apenas nos shoppings Iguatemi e Morumbi. A dúvida é quando o serviço será levado para outros shoppings e cidades. A empresa diz que isso depende da adaptação dos parceiros – as máquinas de cobrança dos estabelecimentos precisam ter o sistema de reconhecimento.

O que será possível pagar por reconhecimento facial? Em tese, tudo o que já é possível pagar com o Sem Parar, como pedágios, estacionamentos, drive-thru e postos de gasolina. Mas a empresa testa parcerias para permitir o pagamento de outros serviços, como o bilhete do cinema e a conta do restaurante.

Qual o novo posicionamento de marca do Sem Parar? O novo mote da campanha da empresa é: Sem Parar. Dá Tempo pra Viver.” A companhia não quer mais ser identificada como uma empresa de pagamento de pedágios. Dos 5,5 milhões de clientes do Sem Parar, apenas 20% usam apenas pedágios. Outros 70% combinam o pagamento urbano com o pedágio.

“Estamos nas cidades e acompanhamos o cliente aonde quer que ele vá, oferecendo comodidade e fluidez para que ele curta o caminho e tenha tempo para curtir aquilo que realmente importa”, disse Fernando Yunes, CEO do Sem Parar.

Com a entrada de novos concorrentes, o Sem Parar vai continuar cobrando mensalidade de seus usuários? Yunes disse que sim ao 6 Minutos. A empresa tem a mensalidade do plano completo (para quem pega estradas, de R$ 24,90) e o cidades (de R$ 14,90).

Sem Parar testa tecnologia de pagamento por reconhecimento facial
Crédito: Divulgação