Olá, muito prazer. Nós somos o 6 Minutos

O 6 Minutos é uma plataforma de conteúdo jornalístico independente que faz parte da mesma holding que controla o C6 Bank.

A missão do 6 Minutos é contribuir com a sociedade ampliando a oferta de informação jornalística de qualidade e ajudando na universalização da educação financeira.

O 6 Minutos tem independência editorial em relação ao C6 Bank, mas compartilha com o banco os valores de transparência, ética, respeito, bom humor, responsabilidade e trabalho em equipe. Assim como o C6 Bank, o 6 Minutos acredita em estabelecer relações verdadeiras para, com isso, contribuir para a evolução do ecossistema informativo do país.

O 6 Minutos tem um Conselho Editorial consultivo, não-remunerado e com mandato sem prazo definido. Fazem parte do Conselho Editorial Adriano Silva, Facundo Guerra, Joyce Pascowitch, Marcelo Kalim, Verena Fornetti, Eco Moliterno, Marcelo Parada e Rodrigo Flores.

TRANSPARÊNCIA E CREDIBILIDADE
O 6 Minutos sabe que o erro é inevitável na atividade jornalística. Mas trabalha de forma obsessiva para reduzir sua incidência ao mínimo.

Todos os erros identificados serão corrigidos e as correções, devidamente sinalizadas. O 6 Minutos acredita que o reconhecimento público dos erros não diminui a credibilidade do veículo. Pelo contrário, a reforça, ao reafirmar o compromisso com a transparência.

APARTIDARISMO
O 6 Minutos não apoia ou subscreve partidos ou movimentos políticos. Seus jornalistas não possuem filiação partidária.

O 6 Minutos fiscalizará todos os governos, sempre na defesa intransigente dos interesses dos leitores e dos eleitores.

O 6 Minutos defende a democracia, o cumprimento da Constituição e a separação de poderes.

PLURALIDADE
O 6 Minutos valoriza a pluralidade de opiniões, mas reserva-se o direito de restringir ou negar espaço para conteúdos que promovam a violência, a discriminação ou o cerceamento das liberdades.

LIBERDADE
O 6 Minutos tem na defesa da liberdade o seu valor fundamental. O direito de ir e vir, a liberdade de associação e de expressão, o direito à propriedade e o voto livre e direto devem ser manifestações seminais dela na sociedade brasileira. A responsabilidade e a responsabilização são os contrapontos necessários para o exercício da liberdade.