O Facebook tranquilizou seus investidores nesta quarta-feira (30). A maior companhia de mídia social do mundo, que vem sofrendo pressões de reguladores e parlamentares ao redor do mundo, teve lucro de US$ 6,09 bilhões, o equivalente a US$ 2,12 dólares por ação, o que superou as previsões dos analistas.

O que mais o balanço registra? A receita do período aumentou 29% em comparação anual, para US$ 17,65 bilhões, ultrapassando a previsão média dos analistas de US$ 17,37 bilhões, segundo dados da Refinitiv.

No trimestre, a empresa registrou 2,8 bilhões de usuários mensais e 2,2 bilhões de usuários diários no Facebook, Messenger, Instagram e WhatsApp, ambos ligeiramente superiores ao trimestre anterior.

As despesas totais do Facebook no terceiro trimestre foram de US$ 10,5 bilhões, um aumento de 32% em comparação com o ano anterior. A margem operacional do terceiro trimestre foi de 41%, ante 42% no ano anterior.

Você pode me dar um pouco mais de contexto? Nos últimos três anos, o Facebook vem enfrentando hostilidade crescente de usuários e legisladores ao redor do mundo em relação à privacidade dos dados de seus usuários e a suposta incapacidade de garantir a integridade de seus feeds de notícias.

A empresa também vem lidando com crescentes desafios regulatórios à medida que as autoridades dos EUA investigam se o Facebook adotou práticas anticoncorrenciais.

O projeto de criptomoeda do Facebook, Libra, fracassou nas últimas semanas, em meio a críticas de parlamentares e reguladores em todo o mundo por temer que isso possa ajudar a lavagem de dinheiro e prejudicar o sistema financeiro global.

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.