A Mercedes Benz e a Bosch anunciaram nesta segunda-feira (2) a formação de um consórcio para ampliar uma estrutura da montadora alemã em Iracemápolis (SP). O plano é investir em R$ 70 milhões onde hoje é um campo de provas e criar o “Centro de Testes Veiculares”, um espaço que será utilizado pelas companhias e alugado para outras empresas.

Qual é o objetivo do projeto? Segundo a Mercedes e a Bosch, o investimento supre uma necessidade de todo o setor, que são espaços para testes avançados de desempenho para os novos veículos produzidos. Hoje, parte considerável dessas simulações é feita fora do Brasil.

“É um investimento custoso e um processo muito demorado para as empresas”, afirmou Philip Schirmer, presidente da Mercedes no Brasil. Na expectativa do executivo, a diminuição desse custo pode inclusive reduzir os preços para o consumidor final, tornando o mercado “mais competitivo”.

Executivos da Mercedes Benz Brasil e da Bosch anunciam consórcio para centro de testes veiculares

Executivos da Mercedes Benz Brasil e da Bosch anunciam consórcio para centro de testes veiculares
Crédito: Divulgação

“Nossa intenção é criar um espaço que ajude a desenvolver a engenharia automobilística nacional”, disse o presidente da Bosch na América Latina, Besaliel Botelho. De acordo com o anúncio, a nova estrutura foi projetada com boxes e cabines que permitam aos interessados manter a confidencialidade dos projetos desenvolvidos e testados ali.

O que vai ter de tão diferente nesse centro? O novo centro será inspirado em estruturas semelhantes existentes em países como Alemanha, Estados Unidos, China e Japão, sendo inédito o modelo de consórcio. Mercedes e Bosch dividirão os investimentos e as rendas com aluguel.

Entre novas tecnologias a serem desenvolvidas e testadas, as empresas destacam sistemas de segurança veicular e controle de chassi, frenagem automática de emergência, eficiência energética e automação.

Os destaques do novo centro serão quatro pistas, batizadas pelas siglas HSO, VDA, BMT e PHC. A pista Oval de Alta Velocidade (High Speed Oval – HSO), com duas retas paralelas de 960 metros, três faixas de rolagem e superfícies irregulares para medição de estabilidade e suspensão. A Área de Dinâmica Veicular  (Vehycle Dynamic Area – VDA) será um espaço com 70 mil metros quadrados de asfalto plano utilizada para veículos híbridos, elétricos, semiautônomos e autônomos.

A Pista de Medição de Frenagem (Broke Measurement Track – BMT) terá sete faixas paralelas e irrigáveis proporcionarão diferentes tipos de aderência para medir a eficiência de sistemas de freio. Já a Pista de Dirigibilidade Pavimentada (Paved Handling Course – PHC) é composta de curvas próprias a simular situações reais pelas quais passam automóveis leves e de passeio.

Quer receber nossos boletins e notícias pelo Whatsapp? É só clicar no link abaixo com o seu celular e você já estará no nosso grupo.